segunda-feira, 12 de outubro de 2015

viragem

pela
noite
a
dentro
vento
vira
tempo
venda
val

sobre tudo

As vezes
Quase sempre
Acho que
Estou
Demais
Falo
Demais
Vivo
De mais
Não tenho
Medida
Sofro de excessos
Rio
É
Um
Caminho
Sem
Volta
Não tenho
Pretensões
Literárias
Minha poesia
Não tem
Interlocutor
Escrevo porque
A voz
Embarga
Escrevo
Porque não
Caibo mais
Em mim
Escrevo
Para não
Enlouquecer
Eu queria
Ser
Comum
Desejar
Coisas
Comuns
Viver
De
Maneira
Comum
Mas não
Eu
Só suporto
Viver
O
Extraordinário!

sobre tempo

Algumas
Histórias
Tem
Começo, meio e fim
Outras
Começam
E já
Pulam
Pro
Final

Corpo movimento Corpo evento Que transborda Desassossego Corpo que reclama Do peso Da vida Corpo imenso Intenso Corpo sem lugar Sem lar Corp...