quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Amanhã


Amanhã é outro dia
Amanhã dói menos
Amanhã tudo passa
O sol nascerá
O medo
A angústia
O sofrimento
Esses ficarão no passado...
Como chuva que cai
Como a ventania
Como mais um dia
Passará...
Mas quem fica?
Permanecerá o mesmo?
A chuva vem e molha
O vento vem e move
Nada será como antes
Amanhã não serei mais a mesma de ontem...

30-09-10

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Visceral


Vêm de dentro
Coloco pra fora
Sem medo
O que é sentimento
Amor e ódio
Vêm de dentro
Não guardo
Vivo e luto
Sem arrependimento
Vêm de dentro
Não posso abafar!
Exponho minha dor
A quem possa interessar...

Os poemas que lhe escrevi...


Os poemas que lhe escrevi
São rastros de minha saudade
No tempo onde a felicidade
Tinham as cores que escolhi...

Os poemas que lhe escrevi
Têm em versos meus sonhos
Desilusões e um adeus tristonho
Ilusões que ainda guardo de ti...

Os poemas que lhe escrevi
São rascunhos de momentos vividos...
Largados em meio a um tempo perdido
Revivem o amor que jamais esqueci...

27-09-10

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Não sou mulher de verdade


Não sou mulher de verdade
Não lavo cueca
Nem piloto fogão
E sou pura vaidade

Não sou mulher de verdade
Aqui não tem princesa encantada
Em busca do príncipe alado
Não busco salvação
Nem preciso ser resgatada

Não sou mulher de verdade

Eu mudo minha realidade
Luto por tudo que quero
Isso pra mim não é novidade

Não sou mulher de verdade
Ninguém vai me calar
A vida é minha
Não me deixo aprisionar


14/09/10
Ornella Rodrigues

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Intensa


Se para me sentir viva
Tiver que cruzar oceanos,
Eu nado...

Se para continuar livre
For necessário travar guerras
Eu luto...

Se para ser amada
For preciso deixar de ser
Quem sou,
Desisto!

Prefiro que me odeie
Pelo que sou
Do que ser amada
Por aquilo que eu aparentar ser...

08-08-10

Ornella Rodrigues

domingo, 5 de setembro de 2010

Mirada


Me miro en tus ojos
Espejos del alma
Negro intenso
Encanto sin palabras

Me miro en tus ojos
Recassa en el mar
Mi perdición
Me atrae y me excita

Me miro en tus ojos
Tierno como un niño
Yo tengo la llave
Mátame con el deseo


Ornella Rodrigues

Sobre os vários nãos Não é que uma hora cansa Não, não é isso Todos os dias são cansativos E chega um dia Que o peso se torna insuportável N...