terça-feira, 2 de agosto de 2011

Olívia


Selvagem...
Nasce no tempo frio
Sangue quente,
Pede calor, cuidado
Raízes
Poderosas e compridas
Procuram a fonte da vida
Em meio ao solo frio
Rachado...
O tronco curto
É fortaleza...
Leva seiva
Nutre a alma
O coração...
Suas folhas
Pequenas
Buscam o sol
Frágeis...
E quando perdidas
Renascem...
Já seus galhos
Carregam a beleza
A flor branca,
Pura sensibilidade,
Não é pureza
Esconde, escudo
Pra sua dureza...
O Fruto
Nasce da dor
De ser apenas o final
De um começo...
Olívia
É o óleo
O Sustento
O Lamento
Bento
Alimento e alento...

os dias passam feito nuvens de chuva não consigo esquecer nossa noite teu rosto desenhado na minha retina cada gemido cada mordida ...