segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Matam minha poesia


Matam minha poesia
Quando me entregam a esta vida vazia
Cheia de ódio e mesquinharia
Contaminam meu sangue com egoísmo,
E colocam em minhas mãos a ira...
Deixam-me a mercê da ignorância
Tiram da minha boca o lirismo
Sugam do meu coração a esperança
Tiram-me as asas
Calam minhas palavras
Ferem meus olhos
Enchem-me de mágoa
E matam minha poesia...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Falta você


Hoje o tempo se confunde
Entre passado e futuro
Os dias se tornam mais lentos
E as noites cada vez mais soturnas...
O que falta em meus versos?
Pergunto,
Olho o por do sol
Recordo meus antigos sonhos
De ser livre e voar em outros ares
Ver o colorido de outros lugares...
Se eu tivesse mais tempo
Atrasaria meu relógio
Viveria por mais alguns segundos
Os momentos ao seu lado...
Se eu estivesse perdida
Calçaria meus velhos chinelos
Voltaria pelo mesmo caminho
Te reconheceria, te amaria denovo...
O que falta em meus versos?
As palavras andam soltas
Perdidas, sem sentido...
Quero de volta minha inspiração
Escrever com paixão e sentimento
Bloqueio de sentidos...
Não sinto mais meus sentimentos
Sinto minha alma aflita
Sem que reflita minha poesia
Falta algo na escrita
Um sentido
Minha inspiração!
Um caminho
Falta você
Suas asas...
Suas pernas
Seu coração...
Falta você!

Ornella Rodrigues

Corpo movimento Corpo evento Que transborda Desassossego Corpo que reclama Do peso Da vida Corpo imenso Intenso Corpo sem lugar Sem lar Corp...