sábado, 18 de dezembro de 2010

Elementar


Queria ser água
Correr por entre as pedras
Inundar os campos
E saciar tua sede

Queria ser vento
Carregar o perfume das flores
Ir onde tu estiveres
Despentear seus cabelos

Queria ser terra
Ser fertilizada de amor
E fazer brotar novos frutos

Queria ser fogo
Transformar a saudade em cinza
Incendiar teu corpo de desejo...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Alas de Mariposa*

Dia 24 de maio, nasceu...
pretinha na luz de Oxúm, Oya e Yemanjá, 
cresceu...
Guerreira!
Cabelo crespo
Pele preta
Coração vermelho
Fez das dores, das alegrias, poesia...
Tornou-se poetiza
Na ancestralidade da cor segue na luta!
Igualdade e liberdade, sua meta...
Conquistar novos mundos, corações...
Cabeça ereta, espinha reta!
Muito Axé!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Quem sabe...


Vou esperar pela alvorada
Quem sabe pela manhã
Eu não esteja amargurada
Vou esperar o amanhecer
Pra quem sabe num outro dia
Eu consiga te esquecer
Enquanto o dia clarear
Quem sabe a luz do sol
Possa meu coração acalentar
Vou esperar o sol chegar
Iluminar meu ser com seus raios
Fazendo essa tristeza acabar...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Você e o Mar


É como o mar
Muda conforme a lua
Troca de cor quando bate o sol
Como o mar
Tem dias que se revolta
Nos outros é bonança
Ressaca e calmaria...
Como o mar
Enfrentas as pedras
Invade a areia
Desmancha minhas pegadas
É como o mar...
Infinito e profundo
Colorido e salgado
Como o mar...

As ondas que vem trazem bons ventos
As ondas que vão, me levam.
E quem vai desfrutar dos bons ventos que aqui vão ficar, quem vai?
O que vou encontrar no fundo do mar.
O que?
Quem sabe em breves ondinas
Que vão e vem como as marés
Revelem o que existe nas profundezas
Quem sabe uma leve brisa
Envolva meu ser em maresia...
Meu coração
Meu corpo
Mar adentro em mim
Imensidão de sentidos...


Ornella Rodrigues com participação de Crônica Mendes

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Matam minha poesia


Matam minha poesia
Quando me entregam a esta vida vazia
Cheia de ódio e mesquinharia
Contaminam meu sangue com egoísmo,
E colocam em minhas mãos a ira...
Deixam-me a mercê da ignorância
Tiram da minha boca o lirismo
Sugam do meu coração a esperança
Tiram-me as asas
Calam minhas palavras
Ferem meus olhos
Enchem-me de mágoa
E matam minha poesia...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Falta você


Hoje o tempo se confunde
Entre passado e futuro
Os dias se tornam mais lentos
E as noites cada vez mais soturnas...
O que falta em meus versos?
Pergunto,
Olho o por do sol
Recordo meus antigos sonhos
De ser livre e voar em outros ares
Ver o colorido de outros lugares...
Se eu tivesse mais tempo
Atrasaria meu relógio
Viveria por mais alguns segundos
Os momentos ao seu lado...
Se eu estivesse perdida
Calçaria meus velhos chinelos
Voltaria pelo mesmo caminho
Te reconheceria, te amaria denovo...
O que falta em meus versos?
As palavras andam soltas
Perdidas, sem sentido...
Quero de volta minha inspiração
Escrever com paixão e sentimento
Bloqueio de sentidos...
Não sinto mais meus sentimentos
Sinto minha alma aflita
Sem que reflita minha poesia
Falta algo na escrita
Um sentido
Minha inspiração!
Um caminho
Falta você
Suas asas...
Suas pernas
Seu coração...
Falta você!

Ornella Rodrigues

domingo, 31 de outubro de 2010

Apelo


Olhai as mulheres nos campos
E percebam sua agonia
O sol que queima sua pele
A força que seu olhar erradia
Olhai as meninas negras
Brincando com suas bonecas
Refletindo a pureza da vida
Fantasiam um mundo sem guerras
Olhai a índia no rio
Onde banha seus curumins
As lendas de sua tribo
Mostram que a luta nunca tem fim
Olhai para todas nós,
Mulheres de todas as cores
Cuidai para que nossas vitórias
Não se percam entre sonhos e dores...


Ornella Rodrigues

sábado, 30 de outubro de 2010

ousadia


Exala pelos meus poros
O aroma do desejo
Quero a ti me entregar
Ser tua por inteiro
Envolva-me em seus braços
Me agarre pelos cabelos
Percorra com suas mãos meu corpo
Desbravando pelo por pelo
Sussurre em meu ouvido
Palavras pra me deixar louca
Quero sentir na pele seu calor
E provar seu gosto em minha boca
Unidos, entre enlaces de pernas
Pulsando em êxtase profundo
Chegaremos ao ápice do delírio
Gozando o prazer de estarmos juntos...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Em sampa

Queria poder descrever em versos
O que sinto nessa cidade
De árvores, praças e jardins
Arranha céus e luzes ofuscantes...
Queria poder descrever o que sinto
Quando caminho por suas ruas
A sensação de ser pequena
Em meio aos carros e viadutos...
Queria abraçar essa cidade
Com a mesma intensidade que ela me abraça
Viver entre fogo e paixões
Sentir a liberdade na multidão...
Queria poder descrever-te em versos
Mas é impossível
Pois só quando estou em sampa
Sinto que sou um ser vivo...

20-10-10

domingo, 17 de outubro de 2010

Vem comigo...


Vem comigo
Não se perca na indecisão
Vamos plantar sonhos novos
Colher a esperança do chão...

Vem comigo
Eu te mostro o caminho
As pedras não são mais obstáculos
Recolhidas, elas sustentarão nosso ninho...

Vem comigo
Não lance seus sentimentos ao vento
Quero que caminhe ao meu lado
Não me deixe sozinha ao relento...

Vem comigo
A guerra não foi vencida
Há ainda muita luta por vir
Vamos mudar o destino, nossa vida...


Ornella Rodrigues
17-10-10

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

IntimAção!


Afinal, quem usa máscara?
Eu ou você?
Será que sou a única que
Escondo-me sob lençóis?
Será que sou a única que
Fujo de mim mesma?
Ah, meu caro!
Tire sua máscara de acusador
De homem honesto e generoso
Que pratica o bem sem olhar a quem...
Afinal o que tu sabe sobre quereres?
O que teus pais te disseram...
O que os sacerdotes te mandaram...
Ou buscas em si?
Rebele-se, revele-se
Encontre-os dentro de ti
Porque eu os tenho em mim...
Desejo, paixão, amor, tesão
Tudo ao mesmo tempo e agora!
Sem perca de tempo
Sem laços, somente o momento...
Retire de seu rosto a pintura de “bom moço”
Tire da sua vida a hipocrisia dos maliciosos
Vista-se de você
E me descubra por inteiro...

14-10-10

Desejo amar

Desejo amar
Corresponder
Ser correspondida
Desejo amar
O que é belo
O que é feio
Suas qualidades e defeitos
Medo?
Não tenho!
Deixo para os covardes
Em suas fortalezas...
Desejo amar
Entregar-me em desespero
Viver o novo
Ter o velho
Encontro...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

In_Finito


Sou repetitiva, não há como negar...
Amor e dor
Paixão e tesão
Tudo na mesma medida
Tudo parte do meu cotidiano
Experimento, mais uma vez, a alegria da presença,
E mais uma vez a agonia da ausência
Quando será finito?
Quando deixará de ser infinito?
Enquanto durar, repetitivo...
Mais um momento
Mais uma espera
Mais um lamento
Mais uma lembrança
Sempre um “mas” e mais...
Cada vez mais in_finito...


06-10-10
Ornella Rodrigues

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Amanhã


Amanhã é outro dia
Amanhã dói menos
Amanhã tudo passa
O sol nascerá
O medo
A angústia
O sofrimento
Esses ficarão no passado...
Como chuva que cai
Como a ventania
Como mais um dia
Passará...
Mas quem fica?
Permanecerá o mesmo?
A chuva vem e molha
O vento vem e move
Nada será como antes
Amanhã não serei mais a mesma de ontem...

30-09-10

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Visceral


Vêm de dentro
Coloco pra fora
Sem medo
O que é sentimento
Amor e ódio
Vêm de dentro
Não guardo
Vivo e luto
Sem arrependimento
Vêm de dentro
Não posso abafar!
Exponho minha dor
A quem possa interessar...

Os poemas que lhe escrevi...


Os poemas que lhe escrevi
São rastros de minha saudade
No tempo onde a felicidade
Tinham as cores que escolhi...

Os poemas que lhe escrevi
Têm em versos meus sonhos
Desilusões e um adeus tristonho
Ilusões que ainda guardo de ti...

Os poemas que lhe escrevi
São rascunhos de momentos vividos...
Largados em meio a um tempo perdido
Revivem o amor que jamais esqueci...

27-09-10

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Não sou mulher de verdade


Não sou mulher de verdade
Não lavo cueca
Nem piloto fogão
E sou pura vaidade

Não sou mulher de verdade
Aqui não tem princesa encantada
Em busca do príncipe alado
Não busco salvação
Nem preciso ser resgatada

Não sou mulher de verdade

Eu mudo minha realidade
Luto por tudo que quero
Isso pra mim não é novidade

Não sou mulher de verdade
Ninguém vai me calar
A vida é minha
Não me deixo aprisionar


14/09/10
Ornella Rodrigues

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Intensa


Se para me sentir viva
Tiver que cruzar oceanos,
Eu nado...

Se para continuar livre
For necessário travar guerras
Eu luto...

Se para ser amada
For preciso deixar de ser
Quem sou,
Desisto!

Prefiro que me odeie
Pelo que sou
Do que ser amada
Por aquilo que eu aparentar ser...

08-08-10

Ornella Rodrigues

domingo, 5 de setembro de 2010

Mirada


Me miro en tus ojos
Espejos del alma
Negro intenso
Encanto sin palabras

Me miro en tus ojos
Recassa en el mar
Mi perdición
Me atrae y me excita

Me miro en tus ojos
Tierno como un niño
Yo tengo la llave
Mátame con el deseo


Ornella Rodrigues

sábado, 28 de agosto de 2010

Saudade de Iá


Ai que saudade que sinto
Do canto do meu sabiá...
Como faz falta sua voz
Melodia que me faz sonhar...

Encontraste outra flor?
Por qual céu estas a voar?
Ai que vontade que sinto
De mirar nos olhos de Iá...

Doce é o desejo que sinto
De ver livre meu passarinho...
Se acaso te encontras perdido
Siga os jasmins pelo caminho...

Se te prenderam numa gaiola
Avisa! Corro em seu paradeiro...
Liberto-te da prisão
Pois não te quero prisioneiro...

Ai que falta me faz...
Do calor, das noites de luar...
Saudade de suas asas
De vê-lo feliz a cantar...

Ornella Rodrigues

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

"Mulheres que amam mulheres"


Mulheres que amam
As mulheres
Amam a beleza
Iguais, opostos
O sol e a estrela

Mulheres que amam
As mulheres
Amam a natureza
Opostos, iguais...
A rosa e a violeta

Mulheres que amam
As mulheres
Amam a delicadeza
Opostos sempre iguais...
Lagarta e borboleta


De Ornella Rodrigues para Rose!

Vício


Sentir seu cheiro
Ouvir sua voz
Te beijar
Me entregar
É vício...

Chama acesa
Coração ardendo
Prazer as_cendente...
É vício...

Quando a vontade ascende
O desejo acende...
É vício...


Ornella Rodrigues

"M de Mulher"


Menina
Moça
Mulher
Mãe
MC
Militante

Medo
Maltrato
Morte
Motivo?
Machismo,
Maldito!

Mulher marcada
Mestiça
Mulata
Meretriz
Mucama
Macumbeira
Mancha...

Minhas Meninas
Material
Malcriadas
Malvistas
Molestadas
Machucadas

Mulheres marchando...
Movimentamos
Movimento
Movemos muros
Mudamos mundos!

Ornella Rodrigues

sábado, 1 de maio de 2010

Juntas e Misturadas


As mulheres do HIP HOP
São as mulheres do gueto...
As mulheres do HIP HOP
São as mulheres do keto...

Juntas formam um só exército
Prontas pra mais uma batalha...
Em busca do seu direito
Que tarda, mas não falha!

Juntas numa só voz!
Melodia de amor e liberdade...
Contra o machismo atroz
Que nossas mentes e corações invadem...

Guerreiras índias, negras, mestiças...
Essa é a Frente Nacional das Mulheres no HIP HOP
Brasileiras unidas,
Lutando por igualdade e liberdade!

Defeitos do Coração

Desesperado coração
Que ao encontrar-te na rua
Acelera de tanta emoção...

Libertino coração
Esquecendo que já sofreu
Entrega-se a sedução...

Iludido coração
Dá as costas à verdade
E sempre caí na ilusão...

Malcriado coração
Xinga quem o magoa
Pois não aceita rejeição...

Insistente coração
Refaz o que foi partido
Esperando uma nova paixão...

terça-feira, 27 de abril de 2010

E agora?

Eu sequei tua lágrima
Quem secará a minha?

Eu te emprestei meu ombro
Quem me dará consolo?

Eu te entreguei meu coração
Quem o trará devolta?

27-04-10

sábado, 17 de abril de 2010

Homem de Gêmeos

Sabedoria que me encanta
Vida de luta
Fé e Esperança
Coração sofrido, partido...
Na voz perfeita
Encontro melodia
Pros meus sonhos...
Nos braços de guerreiro
Encontro força...
E quando dentro de mim
Torno-me parte de ti
Somos um só!
Prazer sem fim...
Olhos de ternura
Mãos calejadas
Da vida...
Da luta...
Caminha solitário
No seu rastro
Sigo seus passos...
Busco a sombra
O acalanto
O afago
Encontro o medo
Mas sigo adiante...
Homem de gêmeos
Partido inteiro de mim
Minha alma gêmea...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

"Quando tu chegar"

Já não serei mais eu
Quando tu chegar...
Pois até este dia
A árvore forte,
Fortaleza em que me encontro,
Deixará de existir...
As flores,
Que meus cabelos enfeitam,
Murcharão como no outono...
Meu sorriso,
Sempre feliz a te ver,
Cairá como folhas envelhecidas...
Meu coração,
Fruto do meu amor,
Secará cansado da espera...
A esperança,
A última que se finda,
Brotará na próxima primavera...
Adorado meu...
Porque demoras?
Já não serei mais eu
Quando tu chegar...

16-04-10

quinta-feira, 15 de abril de 2010

acesa

Me prende
Atenda-me em seus braços
Se entregue...
Ao deleite e me ame
Não recue...
Aja como pretende
Busque o prazer
Que o persegue...
Presa
Acesa
Deixo-me à mercê
Faça e refaça de mim
Em mim...
Descubra meu corpo
Desfaça esse jogo
Descobre
Encobre-me...
Seja meu homem
E eu serei sua!

15-04-10

Ansiedade

A esperança...
Quando há pressa
Machuca quem ama
Enquanto
A espera...

A espera...
Enquanto
Machuca quem ama
Quando há pressa
A esperança...

sábado, 10 de abril de 2010

Me trata como puta
Desfaz do meu desejo
E atravessa a porta do desprezo

Me trata como puta
Abusa do meu corpo
E deita cansado ao meu lado...

Me trata como puta
Beija minha boca, nega meu coração
E xinga minh’alma sem palavrão...

Me trata como puta
Bate no rosto que verte lágrima
E despeja no meu peito a dor da mágoa...

06-04-10

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Aceito!

Aceito o amor
Aceito a felicidade
Aceito as mentiras...

Aceito ser tua
Aceito teu beijo
Aceito teu abraço
Aceito o medo...

Aceito minha paixão
Aceito teu coração
Aceito tuas mãos
Aceito os defeitos...

Aceito o que é teu
Aceito tu e eu...
Simplesmente, aceito!

Ornella Rodrigues
27-02-10

domingo, 7 de fevereiro de 2010

As flores do meu jardim...

As flores no meu jardim
São os amores que plantei...
E os espinhos que me ferem
São as ilusões que criei...

Jasmins, girassóis e cravos
Que coloriram meus sonhos...
Trazendo com seu perfume
Momentos alegres e tristonhos...

Hoje, abandonado pelos beija-flores
Retiro as ervas daninhas da solidão...
E em meio ao canteiro de dores
Replanto os jasmins, os cravos e o coração...


07-02-10

Há...

Há de se parar de sofrer
Há de se aprender a amar...
Há de se traçar um caminho
Há de se encontrar um lugar...
Há de se ter um sonho
Há de ver um novo olhar...
Há de se procurar algo novo
Há de se buscar pra se achar!

06-02-2010

Sobre os vários nãos Não é que uma hora cansa Não, não é isso Todos os dias são cansativos E chega um dia Que o peso se torna insuportável N...