sexta-feira, 11 de novembro de 2016

É tão ruim
Quando acaba
Ainda mais
Quando não
Acabou
Dentro da gente
Fica um resto
De esperança
Fica a lembrança
Do gosto
Do cheiro
Difícil esquecer
Se foi bom
Se foi intenso
E a gente abafa
A voz que ecoa
Dentro do peito
Limpa as marcas
No coração
E tenta seguir
Sem olhar pra trás...
Curtir
Co
Tem poeta
Que se inspira
Num dia de sol
Na atual conjuntura
Política social
Numa pedra
Numa folha
Eu não
Minha poesia vêm coração
Sangrando
Batendo
Acelerado
Tudo que escrevo é vivo
Intenso
Nada é abstrato
Ornella, 
Quando se aproxima
Já provoca
No céu da boca
O sabor de temporais

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Eu gosto de ouvir
Aquela música do Hooker
E lembrar da nossa última foda
De me excitar
Vendo você cheirando coca
Da sua boca
Seu cheiro
Gosto de pensar
Que existiu magia
E que não foi fantasia
Cada sorriso que você dava
Quando você suspirava
Era por mim
Gosto de olhar
As poesias que rascunhei
Em seu corpo
Que só eu leio
Só eu entendo
Mesmo que você não sinta
Que você não enxergue
Não importa mais
Agora
Se tudo o que sinto
Vira poesia
Se toda paixão
Virou agonia
Nada mais importa
Nada

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Eu quero paixão

Sabe aquele negócio
Que dá e passa?
É isso!

Não quero nada
Frio, sem graça

Eu gosto de queimar a língua
Sou masoquista confessa
Não sou namastê
Paz e amor
Deboista

Curto uma treta
Uns tapas na cara
Sou dessas que dá dor de cabeça
De rodopiar na sala
Mas valho a pena

Se vier morno, eu esfrio
Rapidinho

Na rua
No chão
No carro

Topo tudo

Mas se tiver paixão
Se tiver
Olhar de fogo
De mar

Se me chamar de santa a puta, então
Me arrepio!
Odeio silêncios
Desculpas

Minha intensidade
Pra poucos
Quem aguenta?
Nem eu!

Por isso
Eu quero paixão

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Amanhã
Não
Sei
Mas
Hoje
Eu
Digo
Não
Não
Pra você
Não
Pra mim
Não
Pra tudo
Que
Não
For
Intenso
Imenso
Não
Pro
Raso
Gasto
O
Que
Não der
Não caber
Digo não
Sem

Sem
Doer
E quem
Sabe
Amanhã
Eu
Diga
Sim
Dizem
Que minha poesia
Não tem nada
De política
É só putaria
Sacanagem
Mas me digam
Tem algo mais
Revolucionário
Do que uma mulher
Macumbeira
Preta
Gorda
Demonstrar
Publicamente
Sua sexualidade?
Eu
Queria
Não
Ventar
Queria
Seu
Corpo
Abraçar
O
Mar
Queria
Nao
Ventar
Mas
Meu
Desejo
Inconsciente
Inconsequente

Pensa
Em
Te
Querer

Sonha
Em
Te
Amar

Corpo movimento Corpo evento Que transborda Desassossego Corpo que reclama Do peso Da vida Corpo imenso Intenso Corpo sem lugar Sem lar Corp...