terça-feira, 4 de julho de 2017

Sonho com o caminho da sua casa
Todos os dias
Passeio pelos trilhos do VLT
Vou de boteco em boteco
Te procurando
Numa garrafa de cerveja
Só encontro mágoa
Solidão
Já foi o tempo
Que te ver chapado me dava tesão
E sua boca era meu refúgio
Meu naufrágio
Uma noite era o bastante, sempre achei
que eu só queria paixão
Mais uma foda
Pra guardar de recordação
Quando eu tiver bem velhinha
Paro alguns versos desse poema
E sinto sinto ciúme
Porque até esse verso te beija
Menos eu
Ainda sinto a flecha
Que você atirou no meu coração
Seu gosto na minha boca
Escrevo
Tinha tanta coisa pra dizer
E eu só fiz poesia
Eu só gemia
Pra dizer que te amava
Enquanto os bares fechavam
Não tem mais samba
Eu sou aquela moça que canta
Alcione e chora
Pedindo pro amor voltar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

os dias passam feito nuvens de chuva não consigo esquecer nossa noite teu rosto desenhado na minha retina cada gemido cada mordida ...